O MÉTODO ECOMUNDO: POR QUE FUNCIONA?

A metodologia exclusiva da EcoMundo em matéria de Autorização REACH permitiu que os
dossiês apresentados desde 2015 obtivessem, sem exceção ou restrição, os prazos
solicitados às autoridades europeias. Descubra as chaves do nosso sucesso.

 
15 + 100 %
12 ans
0

NOSSA ABORDAGEM

1. RELATÓRIO SOBRE A SEGURANÇA QUÍMICA: ESPECIFICIDADE E COMPLETUDE

Relatório de Segurança Química exige uma descrição muito detalhada das potenciais exposições à substância em causa para o uso coberto pelo pedido. Esse
relatório deve conter dois elementos chave:

  • O detalhe das condições operacionais (etapas do procedimento, as populações
    afetadas, freqüências, durações, etc.)
  • As Medidas de Gestão de Risco (equipamentos de proteção individual e coletiva,
    tratamento dos rejeitos ambientais) disponíveis

Para preparar este documento, nossos especialistas confiam sistematicamente em uma visita aos sites em questão. Essa abordagem permite que eles forneçam uma descrição
detalhada de cada etapa do processo em questão e, assim, produzam uma modelagem
realista e representativa das exposições.
É esse conhecimento direto de processos e
instalações que possibilita propor recomendações para reduzir o nível de risco. Para
otimizar todo o processo, nossos especialistas desenvolveram ferramentas dedicadas de
coleta de dados.

Finalmente, uma vez que a caracterização do risco é um componente central do Relatório
de Segurança Química, nossos especialistas em toxicologia e ecotoxicologia desenvolveram
o domínio de diferentes ferramentas de modelagem de exposição tanto para os
trabalhadores quanto para a população em geral.

2. ANÁLISE DAS ALTERNATIVAS: CAPITALIZAR SOBRE A ESPECIALIDADE DA
EMPRESA

A análise das Alternativas (AoA) tem dois objetivos principais:

DESCRIÇÃO DO PROCESSO DE SUBSTITUIÇÃO E POTENCIAIS SOLUÇÕES ALTERNATIVAS

A descrição dos processos de substituição baseia-se na especialização em recursos
internos (Pesquisa e Desenvolvimento, Inovação) para demonstrar a indisponibilidade de
uma solução alternativa.
A EcoMundo sintetiza e escreve este argumento técnico para cumprir as exigências da ECHA em termos de estruturação e nível de detalhe. As
informações fornecidas pela empresa são sistematicamente avaliadas quanto aos mais
recentes conhecimentos (publicações científicas, opiniões de especialistas), a fim de
garantir sua robustez.

DEFINIÇÃO DO CENÁRIO DE “NÃO UTILIZAÇÃO”

Este cenário é a referência para avaliar os impactos socioeconômicos potencialmente
gerados pela recusa de autorização. Esses impactos são comparados com aqueles do
cenário de uso para realizar a Análise Socioeconômica.

A definição do cenário de não utilização é, portanto, crucial para o pedido de autorização.
Este trabalho é feito em colaboração com as funções estratégicas da empresa para
identificar o cenário mais realista, que será justificado com base em elementos financeiros
e estratégicos.

3. ANÁLISE SOCIO-ECONÔMICA: ANÁLISE QUANTITATIVA ROBUSTA & ARGUMENTOS
QUALITATIVOS DETALHADOS

A Análise Socioeconômica tem como objetivo realizar um estudo de custo-benefício das
questões da Autorização. Para tanto, são implementadas técnicas específicas para
monetizar os custos e benefícios resultantes da Autorização.

Para realizar uma análise robusta, a EcoMundo desenvolveu metodologias específicas para
avaliar os impactos na saúde humana e no ambiente, com base nas recomendações da
OCDE e da ECHA.

A avaliação dos impactos relacionados à descontinuação do uso da substância tem dois
componentes:

UMA AVALIAÇÃO QUANTITATIVA

Isso pode ser feito para a maioria dos impactos diretos na empresa, como perda de receita
ou investimento, por exemplo. Estes custos serão utilizados para o cálculo da relação custo-
benefício
do dossiê e são elementos estratégicos que receberão uma atenção especial dos Comités de Peritos da ECHA.. Os métodos de avaliação do EcoMundo baseiam-se em fontes institucionais e acadêmicas
reconhecidas.

ELEMENTOS QUALITATIVOS

Eles podem contribuir para ilustrar a análise com outros impactos resultantes da possível
recusa de uma Autorização. Estes podem ser difíceis de monetizar como tal: questões
regulatórias, aumento dos custos operacionais, impacto indireto no emprego, etc. Para
serem levados em conta no dossiê e pesarem na decisão dos Comitês, esses elementos
devem ser precisamente justificados, se possível com base em exemplos passados e / ou
em um feedback concreto de uma experiência.

4. FERRAMENTAS DEDICADAS DE COLETA DE DADOS

Para fornecer o conteúdo mais preciso e mais adaptado possível às exigências dos Comitês
de Avaliação,
ao mesmo tempo otimizando recursos para a empresa, a EcoMundo
desenvolveu ferramentas dedicadas de coleta de dados. Estas visam dar uma visão
exaustiva
dos dados a serem coletados, bem como um acompanhamento do progresso da
coleta.

Eles são elementos importantes do gestão de projetos e reduzem efetivamente a carga de
trabalho e os recursos
associados à realização de um dossiê de pedido de Autorização.